Espaço democrático… #8

07/05/2010 at 09:35 29 comentários

em 2000, senão me engano, numa festa de não me lembro quem, provavelmente de um amigo com apelido de cachorro, e, apredendo a fazer submarino (um estilo de beber chopp com tequila, que não ensinarei a vocês!), estava a júlia…

a vida vai, a vida volta, e numa dessas reviravoltas, passeando no pátio do meu serviço, encontro com ela, que trabalha no mesmo lugar (‘mundo-ovo’)…

júlia vai se casar, assunto que rotineiro em seu blogue, e relata aqui a sua ‘valsa da meia-noite‘ (aproveita para ler ao embalo de)… e aproveito o ED de hoje pra fazer a indicação de um filme para o final-de-semana, o ótimo ‘antes do pôr-do-sol’…

.

Oito horas em Paris

Por Júlia Linhares

Um casal apaixonado chega a cidade da luz menos de 48 horas depois de dizer “sim” a juíza de paz perante os seus 250 convidados. A euforia é tanta que seus olhares curiosos e apaixonados contemplam cada detalhe sem falar nada.

O primeiro destino é a torre Eiffel. Ao se aproximarem da torre, seus olhares se cruzam e se emocionam. Param por alguns instantes, se olham e se abraçam, como se quisessem eternizar o momento. Tiram algumas fotos, pegam o elevador e vão até o topo. Apreciam a vista e tentam imaginar como seria a noite.

De lá, seguem até a margem do Rio Sena e resolvem pegar o barco. Durante o passeio, degustam uma taça de vinho e conhecem vários pontos da cidade que seriam impossíveis de serem vistos em oito horas. O barco os deixa no mesmo ponto de partida. De lá, pegam o metrô e vão para o Arc de Thriomph, e aproveitam para passear e olhar as vitrines mais chiques do mundo na Champs Elysèes. De repente, olham para o relógio e se dão conta de que já é tarde, param em um bistrô para comer algo, e voltam para o aeroporto.

Para ele, era a sua terceira vez na cidade, para ela a primeira e foram apenas 8 horas. Mas em sua cabeça não fazia diferença, pois algo dentro dela dizia que voltaria ali e que passaria muitos momentos felizes. Seu sonho sempre foi passar a lua de mel na Itália. E isso, o seu ex-noivo e atual marido prometeu na noite em que a conheceu.

.

Foto: Náshara Silvera / Edição: Luiz Henrique Dunham

Anúncios

Entry filed under: Espaço Democrático, Fotos / Imagens / Desenhos, Revista CDP. Tags: , , , , , , , , , , , , , , .

medo e delírio em mim… vim pedir votos, meeeeesmo!

29 Comentários Add your own

  • 1. Ingridh Freitas  |  07/05/2010 às 09:42

    Oun!

    Que lindo!!!

  • […] This post was mentioned on Twitter by Cool Johnny. Cool Johnny said: sexta-feira e Espaço Democrático no ar: 'oito horas em paris' – http://migre.me/CCXRhttp://blip.fm/~pydou […]

  • 3. Náshara  |  07/05/2010 às 09:57

    Paris é linda! Oito horas só é muita tortura…

    Eu vou passar minha lua de mel na Disney!!! 🙂

  • 4. coracaodepoeta  |  07/05/2010 às 10:08

    tortura? tortura?

    tortura é ficar 5 horas na Brasil engarrafado… tá precisando rever seus conceitos, minha amiga…
    😛

  • 5. mario cesar  |  07/05/2010 às 10:32

    eu acredito que o real será mais emocionante que o imaginário! Espero que eles aproveitem bem as 8 horas corridas de Paris! Jujuba merece sonhos realizados! Gostei muito da foto! Abraço!

  • 6. Ingridh Freitas  |  07/05/2010 às 10:34

    tortura? tortura?
    tortura é ficar 5 horas na Brasil engarrafado… tá precisando rever seus conceitos, minha amiga…

    COM CERTEZA! ISSO SIM É TORTURA!

    hahahahaha

  • 7. coracaodepoeta  |  07/05/2010 às 10:38

    num é?

    ‘ai, que tortchura, hein?! oitcho horitchas em paris, ain… que tortchura…!’

    se tortura é isso, por favor: todos os dias!

  • 8. Angelica  |  07/05/2010 às 10:53

    Na mesma noite em que eu, totally sóbrea, disse: “Você que é o Johnny??” rsrsrsrsrs

    Obrigada por abrir o seu espaço pra que a minha amiga possa fazer uma descrição tão emocionada de 8 horas de Paris num momento apaixonado.

    Beijos

  • 9. coracaodepoeta  |  07/05/2010 às 10:56

    hahahahahahahaha!

    cara, eu ia colocar algo do tipo no texto de introdução, mas não o fiz pra não fugir do foco…

    mas num foi esse dia, não… esse dia quem encheu a paciência de alguém, aproveito pra me retrarar (hihihi), fui eu…

    o dia do ‘vc que é o johnny?’ foi uma outra vez, no plebeu… que vc aproveitou pra ir às forras…

    😀
    Beijos

  • 10. Ju  |  07/05/2010 às 11:14

    hahhah to adorando esse papo paralelo nos comentários! heheh

    Tenho que concordar, se isso é tortura, quero ser torturada para o resto da vida.

    Ass. Júlia, que está hj no espaço democrático!

  • 11. Angelica  |  07/05/2010 às 11:30

    Meu caro Johnny, foi exatamente nessa noite pq nunca vou esquecer a sua cara de eunaoacreditoqueelaestafaçandoisso ao ouvir o que estava saindo da minha boca. Não faria sentido dizer isso em uma segunda oportunidade, teria que ser na primeira vez. Tampouco esquecerei a primeira vez que tomei um submarino e me afundei junto com ele, hehehehe.

    Amiga, realmente oito horas em Paris não podem ser consideradas como tortura. Nem como presente. Eu gosto de Paris, mas acho que essa mágica de que todos falam vem mais do que a fama da cidade tem do que do sentimento em si. Creio que há muito mais romantismo e beleza num pôr-do-sol em Ipanema do que numa tarde em Paris. Peço sinceras desculpas aos amantes de Paris, mas como esse espaço é democrático e opinião é igual cloaca, cada um tem o seu, espero que respeitem a minha.

    Beijos

  • 12. Ju  |  07/05/2010 às 11:34

    hahahhahahaah ok respeitado

  • 13. Ju  |  07/05/2010 às 11:34

    hahahhahahaah ok respeitado, e acabou-se todo o romantismo

  • 14. Angelica  |  07/05/2010 às 11:37

    Não não, são romantismos diferentes!

  • 15. coracaodepoeta  |  07/05/2010 às 12:42

    Angélica, minha querida, confie em minha memória!

    Naquele primeiro contato, o único momento em que conversamos foi quando eu e uma galerinha começamos a te sacanear. Nem tinha um porquê de você voltar nada contra minha pessoa. Confie em mim.

    Já daquela outra vez, sim! Já tinha todo um histórico, que, até então, nada.

    Foi quando você caiu em si e aí, sim, se lembrou que me conhecia.
    😛

    E não conheço Paris, mas Ipanema é foda! Hehehe…

  • 16. isoca  |  07/05/2010 às 14:30

    ‘E não conheço Paris, mas Ipanema é foda! Hehehe…’

    E não conheço Paris também, mas o lago de Bragança, hein? Uma beleza! haahhahahahaha

    E todos os documentos da minha vida, coloquei Paris presente

    hehehe

  • 17. Angelica  |  07/05/2010 às 14:33

    E posso saber pq vc e seus amiguinhos me sacanearam? Até onde eu lembro, vcs soltaram piadinhas e quando eu descobri que vc era o Johnny perguntei se era você o Johnny. Enfim, não faz diferença já que a ordem dos fatores não influi no resultado.
    Bjs

  • 18. coracaodepoeta  |  07/05/2010 às 14:48

    Isis:

    É, minha deusa.. Acostumada, né? Hehehe… Um dia vamos lá… LOGO!

    Angélica:
    pq éramos um bando de babacas!
    ainda bem que num falo com mais ninguém daquela galera… hehehehehe…

  • 19. Ju  |  07/05/2010 às 15:12

    eu não lembro de nada disso… acho que to pior!

  • 20. coracaodepoeta  |  07/05/2010 às 15:16

    é que você não fez parte…

    o embate pro travado entre angélica e o locutor que vos fala…
    senão me engano, no dia do plebeu, você nem estava…

  • 21. Ju  |  07/05/2010 às 15:29

    como assim eu não estava no plebeu?? rs

  • 22. coracaodepoeta  |  07/05/2010 às 15:32

    ê, época de cachaça, hein?!

    e o pior, era cachaça sexta, sábado, e domingo… na segunda-feira ainda tinha pedido uns 3 kg…

    como pode, né?

  • 23. tatijaphet  |  07/05/2010 às 18:53

    Depois dessa o romantismo foi definitivamente assassinado!!!!

  • 24. tatijaphet  |  07/05/2010 às 19:00

    Porra Johnny! Paris, Ipanema… e vc vem falar de peso!!!!
    Foi seu comentário que acabou com o romantismo!
    Pronto, explicado!

  • 25. Náshara  |  07/05/2010 às 20:54

    Sinto que Luiz Henrique tirou o dia pra me sacanear, e gostaria de dizer que este é meu último coment nesse coração de sacaneador!

    Tortura sim, 8 horinhas só serve pra deixar com gostinho de quero mais!
    Bom, posso falar que Paris é o tipo de cidade que a gente, quando chega lá, até pensa “ah, nem é isso tudo que dizem”, foi assim que pensei quando cheguei lá! Mas depois fui me apaixonando, e comecei a gostar mais ainda depois que voltei de lá e percebi que é de onde mais sinto saudades.

  • 26. coracaodepoeta  |  07/05/2010 às 20:55

    ai de vc se não voltar por aqui!
    ai de vc!
    ai, ai!

  • 27. Ju  |  07/05/2010 às 22:59

    ai ai ai iaiaaaai

  • 28. Nina Vieira  |  10/05/2010 às 20:06

    Quem me dera passar oito horas em Paris (e literalmente apaixonada), sonho!

  • […] Depois do texto pronto, digitei no computador e programei ele para ser publicado aqui no blog, mas logo pensei que ele pudesse participar do “Espaço Democrático”. Tomei coragem e falei com o Jonnhy depois de algumas semanas do texto escrito, e na última sexta o meu texto foi publicado aqui. […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Coração de Poeta


sou só um mensageiro, um profeta, contador de estórias: coração de poeta

twitter…

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.

flickr...

multi-uni-verse

Boring Dad

Similis vobis

Mais fotos

esperança…


%d blogueiros gostam disto: