‘me conta agora como hei de partir…’

08/02/2010 at 13:01 6 comentários

produzindo 'eu mando a tristeza embora'...

de certa forma, falar de despedidas é uma coisa fácil para mim… pelo simples fato de odiá-las…

este blogue foi palco constante para o tema… o difícil é encará-las…

peguem este exemplo de extrema simplicidade: um amigo/parente vai passar uma semana na sua casa e durante essa estadia vocês se divertem horrores, todas as noites antes de dormir preparam diversas guloseimas, trocam experiências, conversas, vivenciam histórias… ok, a semana acabou! um abraço e até apróxima?!

não sei, não sou frio a esse ponto! e estamos falando de um parente, de um amigo…

tudo bem que não sei me despedir de amigos muito queridos em um chopp… quem já se arriscou a essa proeza sabe disso… sou sempre o último a ir embora… após deixar todos em seus pontos, me dirijo à banquinha de chopp/cerveja mais próxima e tomo a minha saideira do dia… de certa forma me conforta (não o álcool, mas ficar um curto período com meus pensamentos) e consigo voltar pra casa… para ficar só, de novo…

a solidão não me incomoda… embora às vezes não pareça, sei conviver bem… o que não me conforma é estar em companhias de extrema agradabilidade e ter que deixá-los para ficar só… isso não me convence… não adianta…

mas o sol, que nasce para todos, tem que ares gracejar, não dá para prolongar o prenúncio da solidão e, lembrando um soldado que perdeu a batalha, volto para casa… mas a guerra continua!

vejo um futuro próximo, onde tudo se acertará, não mais precisarei me despedir de queridos, nem voltar para casa e dormir ao lado do vazio… como? que graça teria se soubesse disso?

isolado é um anagrama para solidão… curioso…

e por quê se despedir de certas pessoas é tão ruim? como ‘é impossível ser feliz sozinho’, ao dizer dar tchau a alguém(éns) que te completa(m) – sejam amigos, amores, familiares – o reencontro com o seu ‘eu’ é sentir a falta da(s) união(ões) perfeita(s)… depois de certa idade, não temos mais paciência para os desiguais (sem preconceitos, até porque ninguém é igual), aceitar as diferenças acaba sendo uma tarefa, acredito, mais difícil… fazemos, claro, talvez por política, mas é complicado… preferimos, mesmo que com todas as diferenças, as pessoas com as quais nos identificamos, daí o que denomino ‘igual’ – aquele que tem afinidade com nossos pensamentos, mesmo que discordando…

então, se um ‘igual’ está indo embora, ou vendo você partir, como, como se simples fosse, deixá-lo partir?

eis mais uma questão para ‘as grandes dúvidas da humanidade’…

Uma vez encontrei minha grande amiga-irmã N01.1 numa rodoviária de um Estado diferente (o único momento de nossas vidas que nos cruzamos fora do lugar comum) e ficamos juntos por 6 horas – o tempo da viagem. Dormi loucamente nesse período, não aproveitei sua companhia (nem ela a minha), mas foi prazeroso ao máximo viajar com ela. Hora de ir embora: acham que foi fácil me despedir?

Anúncios

Entry filed under: Sem categoria.

somewhere beyond the cosmos… bandeira branca, amor…

6 Comentários Add your own

  • 1. Náshara  |  08/02/2010 às 13:55

    “isolado é um anagrama para solidão… curioso…”

    Nunca é fácil.

  • 2. Nina Vieira  |  08/02/2010 às 15:34

    Eu não sei me despedir, e acho o tema até dificil. Esse ano terei que fazer muito disso, mas ficarei com um “até logo” a ser enviado, deixando esperança vã de reencontro futuro.

  • 3. isoca  |  10/02/2010 às 11:37

    Quando tenho que me despedir de você, meu coração fica partido. Mas devo assumir, que mesmo triste, acabo levando em forma de lembrança, um pouquinho da sua alegria, de você comigo, e isso amortece minha queda por alguns dias.

  • 4. coracaodepoeta  |  10/02/2010 às 11:41

    Despedidas sempre me foram difíceis…

    Nunca soube levá-las bem…

    Realmente, mesmo que sua intenção não tenha sido dizer como estou interpretando, você sempre leva um pouco da minha alegria… Mas, se amortece sua queda, menos mal… Tento recuperá-la em seguida e, ainda deixo um pouco do meu melhor contigo!

  • 5. gigi  |  22/02/2010 às 12:49

    vc nem imagina o quanto foi importante p mim ler isso.

  • 6. coracaodepoeta  |  22/02/2010 às 13:08

    gianna, minha amiga, espero que essa importância tenha a ver com ânimo, hein?!

    😉

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Coração de Poeta


sou só um mensageiro, um profeta, contador de estórias: coração de poeta

twitter…

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.

flickr...

multi-uni-verse

Boring Dad

Similis vobis

Mais fotos

esperança…


%d blogueiros gostam disto: