“se” não conta história…

11/11/2009 at 13:07 3 comentários

apagão!

sinceramente, por mais bobeira que possa parecer, pensei ser o fim do mundo…

no escuro, antes de ficar horas no telefone com minha amiga a, reciprosamente, nos apaziguar (estávamos a relembrar que o dia do samba que ela me convidou foi primordial pra nossa amizade, e que estávamos com muitas saudades dos respectivos – óbio, ela do dela e eu, da minha), quando a luz ainda estava fraquinha, e conseguia ver a silhueta de alguns objetos, comecei divagar sobre as minhas tintas, canetas, computadores, projetos inacabados (um me cagou a mão, pois, no escuro, ainda não seco, ao procurar uma caneta pra anotar o outro telefone dela, acertei em cheio uma joaninha), sonhos, saudades, querer estar junto, e a pensar: é, se o mundo acabasse hoje nada disso seria concluído…

menos mal que ninguém iria rir da minha derrota de não ter acabado, mas, ao mesmo tempo, bateu a tristeza da não-conclusão… do tempo desperdiçado (já que não foi concluído) e das coisas [que acredito serem] legais que surgiriam! em determinado momento da minha ligação, falei da vontade de ligar para SP (morada da coisa mais linda desse mundo), e que ficaria horas com ela no telefone, ‘nossa, j (jay)! ia gastar um dinheirão, hein?’ mas céus! se o mundo ia ‘morrer’, ficaria eu me preocupando com conta de telefone?

e o tal do mundo não se acabou…

não! então: mexa-se!

nada de ficar prostrado!

o ‘se’ tivesse terminado isso, ‘se’ tivesse sido diferente, ‘se’, ‘se’, ‘se’ – não!

pensei em tirar fotos do apagão (novo hobby: fotografia! mas calma, não virei um daqueles que fazem nicéphore niépce se revirar no túmulo), e sim! elas iriam aparecer! e não, ia usar flash! mas não tirei…  se eu tivesse tirado…

vamos lá! move yourself!

não tem aquele papo velho, que adoram atribuir a 300 mil autores e, de verdade, não sei quem é o verdadeiro, de ‘viva cada dia como se fosse o último, um dia ele será’? então… vai que fora ontem? o que seria de você hoje?

e aquilo tudo que você queria fazer? por quê ainda não o fez? ah, não me venha com desculpas, hein?! nem de grana, nem de tempo… tudo isso se arruma… aperta daqui, ajeita ali… se é pra enganar, que o façam direito… caso contrário, pare de ler este blogue [mas só por agora, tá?!] e vá fazer algo útil…

Anúncios

Entry filed under: Contos / Crônicas. Tags: , , , , , , , , , , , , .

outro tijolo na parede… eu só quero tomar um chopp…

3 Comentários Add your own

  • 1. Náshara  |  12/11/2009 às 18:30

    J,

    O dia do samba (que até então eu não gostava) foi como o tal efeito borboleta, se ele não tivesse existido, se um certo alguém tivesse atendido o telefone e por causa disso eu não tivesse ficado agoniada, meu amigo, talvez você não fosse essa pessoa tão essencial na minha vida.

    Obrigado por, depois de eu ter te acalmado, eu poder ter de contado quem estava em pânico no momento era eu!

    Bju

  • 2. juzanotelli  |  13/11/2009 às 12:50

    to meio sumida do mundo virtual. nem li seu post, mas depois volto com mais calma pra ler. hj foi só para dar o ar da graça mesmo 🙂

  • 3. coracaodepoeta  |  16/11/2009 às 15:08

    N,

    Como nada é por acaso, o mundo é redondo, pequeno e dá voltas, não existe conicidência e o universo é matemático…

    Estamos aí! Pode contar.

    Ju,
    Replicado no seu blogue.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Coração de Poeta


sou só um mensageiro, um profeta, contador de estórias: coração de poeta

twitter…

Erro: Assegure-se de que a conta Twitter é pública.

flickr...

esperança…


%d blogueiros gostam disto: