a estranha história da mulher que comeu a própria cabeça…

20/10/2009 at 15:02 3 comentários

Dia 5 – Quarta-feira – 12:17 – Largo da Carioca – Centro Histório do Rio de Janeiro

Gritaria, sirenes, calor, pessoas passando mal, ambulâncias, câmeras de TV, policiais, câmeras de celular, sol forte, uma maca passando, desespero, sangue – muito sangue, ‘meu Deus! Ela comeu a própria cabeça!’

Dia 5 – Quarta-feira – 10:09 – Largo da Carioca – Centro Histório do Rio de Janeiro

Soraya pega uma cadeira de praia, senta-se no meio do Largo, pega uma caneta grossa e escreve no papelão de uma caixa de mudanças: 12:00 VOU COMER MINHA CABEÇA

Dia 1 – Sábado – 23:27 – Casa da Soraya – Bairro do Flamengo

Soraya espera ansiosamente uma ligação telefônica.

Dia 6 – Quinta-feira – Televisão – Programa de debate

“Impossível alguém comer a própria cabeça. Se ainda fosse de alguma uma outra pessoa, mesmo assim, seria difícil. Mas como chamaremos isso? ‘Autofagia’? Deve ser algo forjado. Dá pra entender o absurdo que isso é? Alguma jogada de marketing, só pode.”

Dia 29 – Quinta-feira – 21:21 – Rua Marquês de Abrantes – Bairro do Flamengo

Ninguém estava pensando nela.

Dia 2 – Domingo – 3:44 – Casa da Soraya – Bairro do Flamengo

Soraya, que já estava dormindo, recebeu a tão esperada ligação.

Dia 28 – Quarta-feira – 12:02 – Largo da Carioca – Centro Histórico do Rio de Janeiro

Ao sair de seu trabalho para almoçar, Soraya sentiu uma fome estranha. Olhou a sua volta, viu um ótimo guitarrista de blues não-valorizado vendendo seus discos, ninguém dava-lhe atenção, uma multidão de pedintes misturava-se aos transeuntes do local.

Dia 6 – Quinta-feira – Televisão – Programa Religioso

Abram em I Coríntios, capítulo 11, versículo 29: poooois… quem coooooome e beeeeeebe… sem distinguiiiiiiir devidameeeeeeente o cooooooooorpo… come e bebe SUA PRÓPRIA CONDENAÇÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃO!

Dia 5 – Quarta feira – 9:22 – Casa da Soraya – Bairro do Flamengo

Soraya acorda, olha a cabeceira de sua cama, vê sua aliança, seus lenços de papel amassados, seus planos chorados e sua vida sem rumo e futuro. Decidiu não mais viver. Após 3 dias sem sair de casa e só chorar e dormir, sem se alimentar, resolveu sair de casa, comer e morrer.

Dia 5 – Quarta-feira – 12:42 – Largo da Carioca – Centro Histórico do Rio de Janeiro

Repórter de TV: “Estamos aqui, no Largo da Carioca, onde, supostamente, a secretária Soraya Sousa, de 26 anos, comeu a própria cabeça. Os motivos ainda são desconhecidos. As pessoas que viram os fatos estão estarrecidas. Ainda não se sabe ao certo o que foi que aconteceu.”

Repórter de outro canal de TV entrevistando um senhor de terno:

– O senhor viu tudo o que aconteceu?

– Rapaz, eu estava passando por aqui, e vi umas pessoas gritando, aquela moça (aponta para um banco de plástico onde se encontra uma senhora de massa corpórea avantajada, suando – sua blusa rosa, do mesmo tom de suas bochechas, cheia de rastros de umidade embaixo das dobras dos braços, das dos seios e das do abdómen – cabelo desgrenhado, passando um pano na testa, apertando uma das mãos contra o peito, olhando pra cima, balançando a cabeça, parecendo não acreditar no que via e balbuciava alguma palavra ininteligível) desmaiou umas 4 vezes. Não sei ao certo até onde ela estava realmente passando mal ou se queria chamar mais atenção que a coitada que comeu a cabeça…

– Mas o senhor a viu comendo a cabeça?

– Eu vi, mas essa daí tava chamando tanta atenção, gritava, caía, e levantavam-na, e caía de novo, que não pude ficar com a atenção na moça, que nem estava acreditando que ela ia comer a cabeça, mas quando olhei de volta, pronto: estava ela sem.

Dia 29 – Sexta-feira – 16:01 – Agência Bancária – Avenida Rio Branco

Soraya acabara de conversar com seu gerente. Seu casamento seria financiado e ainda conseguiria dar entrada no seu apartamento: seu sonho estava se realizando.

Dia 7 – Sexta-feira – 15:36 – Televisão – Programa da tarde

Muitas vezes não comemos como deveríamos, comemos em excesso e, contínuas vezes, alimentos que são verdadeiros venenos ao organismo… Ah, mas são tão bons, né?! Então, papel e caneta na mão, vamos anotar a receita do leitão à pururuca!

Dia 30 – Sábado – 11:12 – Casa da Soraya – Bairro do Flamengo

Ao telefone, Soraya discutia com sua mãe:

– Mãe! A senhora não está entendendo: eu vou casar!

– Mas minha filha, eu sei que já era hora, mas com esse rapaz? Ele é um rapaz correto pra você?

– Não importa, mãe! Eu já estou cansada dessa vida… Ele vai me tirar daqui! Não aguento mais a senhora no meu ouvido.

– Você é muito ingrata! Seus irmãos não são assim.

– Tô cansada de você! Cansada do meu emprego, cansada de tudo! Tive uma luz! Me deixa em paz! Eu vou embora!

Dia 16 – Domingo – 20:02 – Televisão – Revista Televisiva

E, mesmo depois de duas semanas, a estranha história da mulher que comeu a própria cabeça continua tendo repercursões de todos os cantos do planeta. O motivo de tal ato desesperado ainda é desconhecido. As autoridades locais procuram provas, testemunhas, qualquer coisa. Marilene Cândida, a famosa senhora que aparece desmaiando consecutivamente, nos vídeos amadores, fala sobre o assunto:

– Num era coisa de Deus não, num sabe? Foi um absurdo! Menino! Eu estava passando, num sabe? Fui comprar o enchovalzinho pro Wandersonzinho que estava pra nascer, num sabe? É o quarto filho da minha filha, que minha filha num tem muitas condições, num sabe? Minha filha é um pouco desafortunada, o marido bebe muito, num sabe? Aí eu fui lá, comprar roupinha pro neném e tava passando por lá, vi uns ‘pessoal’ gritando, uns ‘pessoal’ falando que duvidava e fui entrando no meio, num sabe? Fique curiosa, queria ver o que era, e fui lá, num sabe? Quando vi, menino! Nossa! Num era de Deus, num era!

Segundo a mitologia chinesa, o Tao Tie, que representa a ganância, é uma espécie de gárgula, aquelas que encontramos nas vasilhas antigas, de bronze, e é o quinto filho de um dragão, com um apetite que chega a comer a própria cabeça.

A seita Soh Rhay-Ha divulgou as imagens da, como eles chamam, ‘estrela que eclodiu’, no momento exato de sua autofagia. A filmagem foi feita pela única câmera de celular que conseguiu chegar perto a multidão e não se desviar ao ver Marilene desmaiando. A qualidade  não é muito boa, mas podemos ver, exatamente o momento em que ela começa ‘eclodir’. Aviso: imagens fortes a seguir, por favor, quem tiver algum problema de saúde, não veja. Vamos ao vídeo:

Numa gravação de celular, mal definida, encontra-se o Largo da Carioca, uma menina sentada e uma multidão à sua volta. O marcador da câmera mostra que são 11:58. Todos começam a gritar ‘começa! Começa! Começa!’. As pessoas ficam mais eufóricas, Soraya se levanta, a imagem é ruim, muito ‘pixelada’, alguem grita ‘comer a cabeça, é? Come essa daqui, então!’, a multidão ri, acha graça da desgraça alheia, ela levanta os braços pro ar, segura a cabeça, mal dá para ver, é preciso muita atenção. Marilene dá um grito desesperado “Meu Deus! Alguém ajuda ela!’ e desaba no chão. Soraya abre a boca, projeta seu maxilar à frente e ‘Bateria Baixa – Desligando o telefone’.


©Todos os direitos reservados

Anúncios

Entry filed under: Contos / Crônicas. Tags: , , , , , , , .

ontem… meu brinquedo novo…

3 Comentários Add your own

  • […] a estranha história da mulher que comeu a própria cabeça… « :: o meu mundo era um apartamento … coracaodepoeta.wordpress.com/2009/10/20/a-estranha-historia-da-mulher-que-comeu-a-propria-cabeca – view page – cached Dia 5 – Quarta-feira – 12:17 – Largo da Carioca – Centro Histório do Rio de — From the page […]

  • 2. isoca  |  21/10/2009 às 10:37

    Ontem eu li uma coisa interessante no guia do estudante (calma, leia o comentário até o fim), era sobre quem pretendia estudar Letras, o guia explicava que letras é a ciencia que estuda a estrutura da lingua (sim, ok, e?).
    Mas que ninguém deveria fazer letras para tornar-se escritor.

    O ato de escrever é um dom, ninguém aprende a tirar sorrisos, pensamentos, ninguém aprende a magia de usar as palavras e conseguir emoções.

    Isso é um dom, é algo que algumas pessoas nascem sabendo, para nos dar textos ótimos (como este!), e de alguma maneira, nos fazer refletir. Quando não arranca sorrisos (como muitos outros), e de alguma maneira (também mágica) nos leva a reflexão.

    É incrivel o texto! Ótimo! Extremamente bom!
    Morro (vivo) de orgulho de ti!
    Magnífico, fiquei encantada mesmo.

  • 3. Egon Zakuska  |  16/11/2010 às 15:32

    Parabéns cara, ótima crônica!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Coração de Poeta


sou só um mensageiro, um profeta, contador de estórias: coração de poeta

twitter…

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.

flickr...

multi-uni-verse

Boring Dad

Similis vobis

Mais fotos

esperança…


%d blogueiros gostam disto: